“Ser feliz! Custe o que custar” dois anos após o emagrecimento sem cirurgia Tio Gu realiza apresentações entusiasmadas e envolventes em escolas de educação infantil

Em junho de 2017, entrevistamos o carapicuibano Gustavo Vinícius Ferreira Machado, conhecido como “Tio Gu”, que nos contou sua história de superação contra a obesidade mórbida e o acúmulo de gordura no fígado. Na época , Tio Gu com 26 anos, havia perdido mais de 60 kg, sem a necessidade de cirurgia bariátrica, apenas se alimentando de três em três horas com porções reduzidas, eliminando totalmente o refrigerante e praticando exercícios físicos, (relembre a história).

Passados dois anos após o emagrecimento sem cirurgia, com muito mais disposição para manter e controlar seu peso e sua saúde atual, Tio Gu atrela seu lado profissional com sua história de superação, realiza apresentações entusiasmadas e envolventes em escolas de educação infantil em toda região, através de danças, brincadeiras e diversão.

Há dez anos, Tio Gu atua como diretor em escola de educação infantil. Além de educador, ele adora brincar e contar histórias realizando apresentações, ressaltando a importância do bom humor, em uma nova maneira de animar e motivar crianças e adultos no ambiente escolar.

Autor da revista infantil: “SER FELIZ! CUSTE O QUE CUSTAR”, teve com o objetivo trazer para as crianças conteúdo educativo, sem deixar de lado a diversão e criatividade, contendo desenhos para colorir e diversas atividades pedagógicas que ajudam a desenvolver a imaginação dos pequenos.

No ano de 2018, lançou sua música que como o mesmo tema de sua revista “Ser feliz! custe o que custar”, unindo educação, brincadeiras e interatividade.

Conversamos com o Tio Gu que mora em Carapicuíba desde que nasceu, e o resultado dessa conversa, você confere abaixo:

Portal: Tio Gu, em 2017 quando conversamos você tinha perdido mais de 60 kg.
Hoje, como está sua saúde? Poderia revelar quantos quilos você perdeu?

Tio Gu: Aprendo dia após dia que o cuidado com a saúde precisa ser constante, e procuro manter uma atenção especial à isso, principalmente por ter controlado os níveis de esteatose hepática ( gordura no fígado) e hipertensão que me assustaram antes da reeducação alimentar com índices elevadíssimos. Cheguei a pesar 166 quilos, diminuindo para 104,3 kg em nove meses, totalizando 61, 7 quilos perdidos.

Tio Gu em 2016 e atualmente – de amarelo.(Foto: Arquivo Pessoal)

Portal: Muitas pessoas acessaram a matéria na época, parabenizando seu esforço e muitas perguntaram qual o seu segredo. O que você diria a essas pessoas hoje?

Tio Gu: A obesidade me acompanhou na infância, adolescência e na juventude. Tentava emagrecer, mas com o tempo desistia. Em meados de 2016 um mal estar me levou a realizar exames médicos e os resultados foram assustadores. Foi então que a necessidade de levar uma vida saudável e eliminar peso foram mudando meu modo de pensar. Como irei fazer tudo isso? Não vou acordar uma pessoa fitness amanhã ou fazer com que os resultados dos exames fiquem 100% na próxima semana. Mas poderia começar mudando a minha alimentação, qual os hábitos alimentares que prejudicam minha saúde? Refrigerantes, doces em excesso, alimentos ricos em gordura etc…

Alguns eliminei, outros reduzi. E com esse primeiro passo, comecei a ter resultados. Foi muito difícil, mas eu me sentia motivado a continuar, precisava cuidar de mim. Eu precisava emagrecer, minha meta foi cuidar a cada dia da minha alimentação, inseri caminhada, depois a prática de exercícios físicos com acompanhamento profissional. Cada quilograma eliminado, era uma comemoração.

É difícil, dói, a vontade de desistir é grande, mas a alegria de cada conquista e a vontade de vencer é maior.

Vida profissional

Portal: Vemos que sua rotina é bem corrida. É dificil conciliar o trabalho com as apresentações?

Tio Gu: Um pouco. Se alguém ver a minha rotina, com as atividades realizadas de forma isolada, pode pensar que conciliar tudo não é possível. Mas quando temos uma administração realizada de forma adequada, com empenho e esforço, conciliar tudo se torna mais fácil. Aprendo administrar minhas tarefas e meu tempo com o decorrer dos anos, através de muitos erros e acertos, e hoje alcanço um resultado positivo a partir de todas as minhas experiências.

Portal: Há quantos anos já realiza este projeto? O que mais te motiva a realiza-las?
Você tem em mente quantas escolas já visitou?

Tio Gu: Bom, vamos lá. A ideia do projeto surgiu há alguns anos, até realizei uma tentativa na época em que lidava com a obesidade, mas não consegui dar continuidade, pois precisava dar maior atenção a minha saúde e me dedicar a reeducação alimentar. Foi a partir de 2018 que me dediquei e investi mesmo, teve o lançamento da música, a criação das artes, a revista para colorir e a resolução de toda a parte burocrática envolvida.

Neste ano já são dezenas de escolas nas quais realizei apresentações e o que mais me motiva é poder transmitir um pouco do que eu amo fazer para o maior número de crianças possível. Me sinto bem, adoro ser diretor de escola, mas minha paixão mesmo é estar com as crianças. A energia delas é algo impar, a inocência, o carinho. É algo gratuito e sincero.

Tio Gu durante apresentação na E.E.I Sossego da Mamãe. (Foto: Arquivo Pessoal)

Portal: Várias crianças já viram suas apresentações. Alguma criança já reconheceu você na rua, ou em algum lugar? Você consegue descrever a sensação, o sentimento em saber que está participando da formação destas crianças?

Tio Gu: Já sim! Certo dia estava na rua, em Carapicuíba mesmo, sem a caracterização de TIO GU, e a criança falou: “OLHA! O TIO GU QUE FOI NA MINHA ESCOLA!”

Já o que mais me tocou até hoje realizando esse trabalho, foi em uma apresentação em Osasco, ao finaliza-la a criança chegou em mim, na frente de todos, e disse:
“TIO GU, Você não quer ser meu pai?”. O abracei, e disse que o amava e me emocionei.

Quando isso acontece é fantástico, pois é o reconhecimento do meu trabalho, o retorno de todo carinho que procuro distribuir para as crianças. É uma sensação de dever cumprido, minha sementinha foi plantada ali.

Portal: A maioria das escolas em que você se apresentou, elogiaram muito seu trabalho. Você se apresenta sozinho, tem uma equipe?

Tio Gu: Bom, as apresentações eu realizo sozinho. Desde a divulgação até o momento da apresentação, com a montagem do palco e equipamentos de som. Mas quando tive a ideia de criação do projeto, tive auxílio de outros profissionais para a materialização da ideia, como a gravação da música, elaboração da revista e criação das artes. O projeto está em fase de crescimento, e posso adiantar que não estarei mais sozinho em palco, vem novidade por aí!

Revista, música e projetos futuros

Portal: O lançamento da revista era algo que você tinha em mente, ou foi sugestão de alguém?

Tio Gu: Olha, pra falar a verdade não. Sou fascinado por novidades, e sempre que posso investir em algo que acredito, eu procuro investir, dando certo ou não, me dôo fazendo algo que me sinto bem em fazer. Assim foram com todas as minhas experiências: operador de caixa, bancário, vendedor, locador, diretor, até candidato a vereador, e atualmente autor e apresentador.

Cadê o foco? Substituo por criatividade. Dentro do ambiente escolar, sentia falta de alguém externo que viesse dançar e contar histórias com brincadeiras, daí a ideia da música e da revista surgiram, e como todo projeto, tem sido um ajuste de sonhos, orçamentos e inúmeros acidentes de percurso.

Portal: “SER FELIZ! CUSTE O QUE CUSTAR” esta frase, tem algum significado especial para você? Por que escolheu este nome para os projetos (revista e música)?

Tio Gu: Tem sim. A frase “Ser Feliz! Custe o que custar“, passou a fazer parte da minha vida a partir da leitura do Padre Léo, “Segredos para a Cura Interior”. Assim como todos, enfrentei muitos momentos difíceis no decorrer da minha vida, sejam pessoais ou profissionais.

A perda do meu pai. Furtos. É muito complicado quando você se dedica, faz investimentos em algo que você ama, doa seu tempo e ao chegar para trabalhar, vê que equipamentos foram levados, janelas foram quebradas. Fui também vítima de um sequestro, poderia ter perdido minha vida naquele momento, mas pelo cuidado de Deus, estou aqui hoje.

Precisei muito buscar ter fé e perseverança para enfrentar tudo isso, não desacreditando, mas duvidando muitas vezes, e com o tempo, entendendo que apesar de não desacreditar e duvidar, existe um Deus que acredita e não duvida de mim em momento algum. O bem sempre vence, e ainda assim prefiro ser furtado do que furtar, ou ser sequestrado do que sequestrar, me conforta e fortalece pensar assim.

Escolhi esse tema para o projeto, porque compartilho experiências com as crianças, com os funcionários, no ambiente escolar, de forma didática, divertida e interativa, sempre aprendendo, assim como cantamos na música: “sou criança de garra e coragem, crescendo a cada dia e não posso parar, hoje é dia de ser feliz! Custe o que custar”

Portal: Pretende lançar mais músicas e revistas futuramente?

Tio Gu: Pretendo sim, as ideias não param de surgir, as escolas precisam de atrações descontraídas e atualizadas, principalmente didáticas e interativas com danças, brincadeiras e muita alegria.

Revista é distribuída nas escolas em que acontecem as apresentações (Foto: Arquivo Pessoal)

Portal: “Não encontro a revista do Tio Gu”, como os pais que fizerem esta pergunta poderão encontrar os seus trabalhos?

Tio Gu: Por enquanto, a revista está sendo divulgada apenas nas escolas em que realizo as apresentações. Mas em breve, a distribuição para a venda será ampliada para atender toda a demanda.

Portal: “Quero convidar o Tio Gu para fazer uma apresentação na minha escola de educação infantil, como fazer?”

Tio Gu: Tenho um site, assim também como perfis pessoais no Facebook e no Instagram, sempre que posso, compartilho algumas apresentações também por lá.
Site: www.tiogubr.com
Facebook: TIO GU
Instagram: gu.tio

O contato poderá ser via WhatsApp, o número é 11-949570159, tem um detalhe, como é gratuita, a demanda aumenta e tenho que verificar a disponibilidade na agenda para não deixar de atender ninguém. Grande abraço!

“O bem sempre vence o mal”!

Comentarios

Comentarios