as seis categorias das placas Mercosul para carros
Créditos da imagem: Denatran.gov.br

Para os motoristas fluminenses, a nova placa padrão Mercosul começou a ser utilizadas em setembro de 2018, ainda sem a obrigatoriedade de uso nos veículos, para que os motoristas pudessem se acostumar. No entanto, a partir de 01 de dezembro, o uso das placas padronizadas entre os países que compõem o bloco econômico passou a ser obrigatória.

Mas calma, não se assuste com a nova lei, ela vai ser aplicada de forma gradual ao longo dos próximos anos, e os demais estados da federação também deverão adotar esse novo modelo. O visual é um pouco diferente do que o utilizado atualmente, mas muito similar com o modelo europeu.

Segundo o Ministério das Cidades, responsável pela adoção da nova regulação, todos os automóveis brasileiros deverão conter a nova placa num período de 5 anos. Afinal, você sabe quais são as mudanças e os benefícios? Você sabe como entender os dados que estão inseridos nessa nova numeração? Para tirar todas as usa dúvidas sobre a placa do Mercosul, separamos informações essenciais para você. Vamos lá? Acompanhe!

Como será a nova placa?

Além do visual, as mudanças principais ficam por conta do código alfanumérico das placas, que seguem um padrão imposto pelo bloco. Atualmente a composição das placas respeitam as normativas até então em vigor em território nacional contendo três letras e quatro números, a formação era XXX 0000.

Essa nova legislação em vigor, a numeração será composta por quatro letras e três números, seguindo o seguinte padrão: XXX 0X00.

Como será o processo de substituição?

Não importa se você tem um carro usado ou comprou um Renault Duster novo, por exemplo, as placas deverão seguir o novo formato padrão Mercosul. A forma de composição seguirá algumas normativas impostas pelo Governo Federal, são elas:

  • durante a conversão, as letras utilizadas serão reduzidas de A até J, para não causar prejuízos futuros no momento da troca de placas;
  • o proprietário terá o direito de escolha dos caracteres da placa, mantendo a possibilidade atual da configuração personalizada das placas;

Conforme determinação, o segundo número da placa atual passa a ser uma letra e, por esse motivo, ele vai obedecer a seguinte tabela:

2º númeroLetra correspondente
0A
1B
2C
3D
4E
5F
6G
7H
8I
9J

Na prática, se o proprietário possui um veículo com as placas AEK 1234, no novo padrão Mercosul será convertida para AEK 1C34.

A utilização da nova placa passa a ser obrigatória para todo o território nacional, nos veículos 0 KM e em caso de transferência de seminovo.

Data limite para emplacamento de todos os veículos no Brasil

Todas as alterações na placa dos veículos estão previstas na resolução 729/2018, incluindo a não obrigatoriedade da substituição das placas para o modelo Mercosul até 2023, prazo esse estipulado para que todos os estados da federação possam adotar a nova lei.

No entanto, para os novos veículos, a adoção da nova tarjeta de identificação é imediata para evitar maiores prejuízos futuros aos motoristas. Recomenda-se que em caso de transferências ou substituição das placas, o proprietário passe a utilizar o novo modelo.

É também expresso nessa resolução que está liberado para os motoristas que quiserem fazer a troca das placas de forma espontânea. No entanto, para não incorrer em altos custos para a produção da nova tarjeta, indica-se que o estado passe a utilizar a placa para que aí então ocorra a substituição de forma menos onerosa.

Qual o custo das novas placas do Mercosul?

O padrão Mercosul adotado pelo governo brasileiro segue algumas normativas específicas que tornam as placas mais caras que nos países vizinhos Argentina e Uruguai. Uma vez que serão adotadas tarjetas extras nas placas, com o brasão da cidade e estado de origem de emplacamento do veículo, isso tornará mais cara a produção da placa.

Outro fator importante nessa particularidade brasileira é que, diferente dos demais países que adotaram o padrão de placas do bloco, a cada transferência de cidade as tarjetas com o brasão deverão ser trocadas, o que onera o processo.

A segurança da nova placa

Não importa se o veículo emplacado com a nova tarjeta Mercosul seja um fusca antigo ou um Logan zero quilômetro, ambos passarão pelas mesmas inspeções de fronteira. Ou seja, o sistema unificado criado entre o bloco de países simplifica o processo de consulta de placas e as questões administrativas e criminais do veículo de forma mais rápida.

No tocante das multas de trânsito obtidas em outros países, existirá uma maior agilidade e facilidade para que as notificações cheguem ao destino correto de cobrança onde está indicado na documentação de registro do veículo.

Por que as cores da placa sofrem alteração?

A composição da nova placa Mercosul prevê a mudança de cores das letras e números de acordo com o tipo de veículo. A escrita das informações em preto ocorre para automóveis comuns, a cor verde passa a ser utilizada para veículos que estão em teste, as cores vermelhas para os automóveis que são de uso comercial, azul para veículos oficiais, a cor cinza para automóveis de colecionador e a cor dourada para os veículos diplomáticos.

Outro detalhe importante que não haverá distinção da origem do veículo pela inicial da placa, como existe no padrão atual. Os números serão gerados de forma aleatória, podendo ser verificado somente na tarjeta a cidade e estado de domicílio do veículo.

E aí, gostou deste artigo sobre as novas placas com o padrão Mercosul? Então porque não aproveita para compartilhar com os seus amigos essas informações tão importantes! Use as suas redes sociais para compartilhar este texto e deixe todos atualizados com as novas mudanças que estão entrando em vigor.


Comentarios

Comentarios