Por 3 votos a 0, a 8ª Turma do TRF4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região) decidiu ampliar a pena do ex-presidente Lula em 17 anos, 1 mês e 10 dias em regime fechado. Na primeira instância era de 12 anos de prisão, tudo isso no caso do Sítio de Atibaia.

Não foi levada em conta pelos desembargadores uma decisão do STF que delatados, como no caso de Lula, devem ser ouvidos antes dos delatores. Como Lula não teve esse direito, havia a expectativa que o caso voltasse a 1ª instância. 

Para o MPF (Ministério Público Federal) Lula é acusado por ter sido beneficiário de R$ 1 milhão em obras pagas pela Odebrecht e a OAS, além do empresário José Carlos Bumlai, no Sítio de Atibaia. Os recursos são oriundos do esquema de corrupção, que é alvo da Operação Lava-Jato.

A propriedade pertence ao empresário Fernando Bittar, mas de forma assídua foi frequentada pelo petista, nos primeiros anos depois da presidência.

É bom lembrar que a juíza Gabriela Hardt, em fevereiro deste ano, da 13ª Vara Federal de Curitiba, condenou o ex-presidente por uma ligação com o esquema de corrupção envolvendo empresas com Petrobras. No caso, Lula teria recebido vantagens na reforma do Sítio de Atibaia.

Fonte – Uol.com

Comentarios

Comentarios