Segundo dados do Centro de Vigilância Epidemiológica do Estado de SP, de janeiro a abril deste ano, Carapicuíba registrou 205 casos de dengue. Destes casos, 168 foram autóctones – contraídos na própria região – e 37 trazidos de fora. No mês de março foi registrado o maior número de casos: 122 no total.

Em seguida aparece Osasco, com 98. Barueri e Parnaíba somam 25 casos caso. Cotia tem 18 e Jandira soma 15, Itapevi tem 9 e Pirapora do Bom Jesus registra duas ocorrências.

No geral, as cidades da região oeste (Barueri, Cotia, Itapevi, Jandira, Osasco, Pirapora, Santana de Parnaíba), fecharam o 1º quadrimestre do ano com 397 casos confirmados de dengue.  O número é 4000% maior que o registrado em igual período do ano passado.

Outro importante indicador sobre a dengue – o Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo Aedes aegypti (LIRAa) – divulgado em abril, pelo Ministério da Saúde, aponta que Cotia e Jandira apresentam alto índice de infestação do mosquito, com risco de surto para dengue e também zika e chikungunya. Já Barueri, Carapicuíba, Itapevi, Osasco e Santana de Parnaíba estão em alerta.

Carapicuíba amplia polos de diagnóstico da dengue

Devido ao número ao número de casos, a prefeitura passou a oferecer assistência médica direcionada aos munícipes com sintomas suspeitos da doença em novos polos de diagnóstico: UBS Central, UBS Florispina de Carvalho, UBS Adauto Ribeiro, UBS Ana Estela e Policlínica. O atendimento é realizado de segunda a sexta-feira, das 9 às 17 horas (UBS Florispina de Carvalho até as 20h).

Outra medida adotada foi a extensão do Pronto Atendimento Vila Dirce. Os casos suspeitos de dengue do PA estão sendo atendidos, temporariamente, na USF Vila Dirce, que transferiu as consultas agendadas para a UBS Florispina de Carvalho (R. Bandeirantes, 24 – Vila Dirce). A Secretaria de Saúde disponibiliza transporte a esses pacientes. Os PA’s Cohab II e Infantil atendem normalmente.

Com informações de Revista Circuito/ WebDiário

Comentarios

Comentarios