O período de inscrição no programa Bolsa do Povo Educação vai de 19 a 31 de julho, que vai pagar R$ 500 mensais, durante seis meses, para pais ou responsáveis de alunos da rede estadual prestarem apoio geral nas escolas.

Os participantes do programa vão atuar principalmente no acompanhamento de protocolos sanitários, garantindo mais segurança nas atividades presenciais para estudantes e funcionários em meio à pandemia de covid-19. A jornada será de 4 horas por dia, até dezembro.

Quem tiver interesse pode se inscrever por meio do site bolsadopovo.sp.gov.br.

Com a medida, o Governo de São Paulo pretende gerar renda para parte da população desempregada e aumentar as equipes escolares. “O Bolsa do Povo Educação é mais um programa da Rede de Proteção Social do governo do estado de São Paulo, que já beneficia hoje 2 milhões de pessoas em situação de alta vulnerabilidade”, disse o governador João Doria (PSDB).

Para participar do Bolsa do Povo Educação é necessário:

• Ser responsável legal por aluno da rede estadual (um responsável por família);

• Estar desempregado há pelo menos três meses;

• Ter entre 18 e 59 anos;

• Morar próximo à unidade escolar (raio de dois quilômetros).

São critérios preferenciais:

• Estar cadastrado no CadÚnico;

• Ser mãe de aluno da rede estadual;

• Ter filho estudando na escola de interesse;

• Proximidade entre endereço residencial e escola;

• Maior idade.

Após as inscrições, os candidatos serão entrevistados pelas próprias unidades de ensino. Depois da aprovação das escolas, as Diretorias de Ensino vão fazer a validação para efetivar contratações a partir de 16 de agosto.

Inscrições e mais informações em bolsadopovo.sp.gov.br.

Retomada das aulas presenciais tem previsão para o dia 8 de setembro