O marco para a aviação brasileira aconteceu por volta das 5h50 da manhã do dia 7/1/1910. Decolando do hangar construído no quintal de sua casa, na Avenida dos Autonomistas, o engenheiro Dimitri Sensaud de Lavaud conseguiu voar cerca de 103 metros, numa altura que variava entre 2 e 4 metros. Apesar de durar seis segundos, o voo foi o suficiente para marcar a história de Osasco.

O AVIÃO

Dimitri, com a ajuda do auxiliar mecânico Lourenço Pelegatti, conseguiu montar o próprio avião batizado de “São Paulo”. Todas as peças do aeroplano foram fabricadas no país com materiais nacionais. A hélice possuía 2,1 cm de diâmetro e 30 cm de largura, o esqueleto do avião 10,2m de comprimento por 10m de largura, era feito de sarrafo de pinho e peroba, além de um motor de seis cilindros.

DIMITRI SENSAUD DE LAVAUD

Nascido na Espanha e de ascendência francesa, Dimitri foi um engenheiro, inventor e aviador. Veio morar em Osasco em 1898 trazido pelo pai, Evariste Sensaud de Lavaud. Casou-se com a brasileira descendente de franceses, Bertha Rachoud, com quem teve três filhos: Georgeth, Robert e Gabrielle.

Com mais de mil patentes registradas, ele revolucionou a indústria mundial de tubos metálicos e trouxe inovações para as indústrias automobilística e da aviação.

Após naturalizar-se brasileiro, em 1916, mudou-se para o Canadá, onde permaneceu por alguns anos até transferir-se para a França, onde viveu a partir da década de 1920. Dimitri faleceu em 1947 em Paris, após sofrer dois infartos.