A Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher da Câmara dos Deputados aprovou nesta segunda-feira (6) projeto de lei que altera a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB) para garantir que filhos de vítimas de violência doméstica e familiar tenham direito à vaga na escola pública mais próxima da sua residência.

Conforme a proposta, caso ocorra mudança de domicílio das vítimas de violência doméstica, a matrícula deverá ser remanejada para a escola pública mais próxima da nova residência. Nesses casos deve ocorrer a comunicação ao Conselho Tutelar competente.

O texto aprovado é um substitutivo apresentado pela deputada Rejane Dias (PT-PI) aos projetos de Lei 1705/21 e 2797/21, do deputado Benes Leocádio (Republicanos-RN).

Segundo a deputada Rejane Dias, a medida pode conferir uma melhora na qualidade de vida das vítimas de violência e “pode amenizar os danos suportados pela mulher agredida”. 

A proposta tramita em caráter conclusivo e será analisada pelas comissões de Educação, de Seguridade Social e Família e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

*Com informações da Agência Câmara

Agência Brasil
  • Horóscopo do Dia | Portal Carapicuíba HORÓSCOPO DO DIA 17/08/2022
    Participe da maior corrente de otimismo do radio paranaense. Todas as manhãs na rádio Cultura AM 930 das 8h às 09h o Programa Bom Dia Astral. Linha direta com o ouvinte, o que os astros indicam diariamente para seu signo. Almanaque 2022 – na minha loja. Rua: Emiliano Perneta 30 – loja 21 Galeria Cezar […]
  • Sofia Manzano inicia campanha com encontro na USP
    São Paulo  A candidata a presidência da República pelo PCB, Sofia Manzano, iniciou hoje (16) à noite a sua campanha eleitoral com um encontro na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da Universidade de São Paulo (USP). Entre os temas debatidos estavam agronegócio, capital financeiro e reforma administrativa.  A candidata reiterou as críticas […]
  • crédito de até R$ 3.500. Saiba aqui!
    Baixa renda: crédito de até R$ 3.500. Saiba aqui! Home Chamadas Baixa renda: crédito de até R$ 3.500. Saiba aqui! Fonte: Jornal Contábil