O que é o Câncer de Mama?

O câncer de mama é uma doença causada pela multiplicação de células anormais da mama, que formam um tumor. Há vários tipos de câncer de mama. Alguns tipos têm desenvolvimento rápido enquanto outros são mais lentos.

É o tipo de câncer mais comum entre as mulheres no mundo e no Brasil, depois do câncer de pele não melanoma. O câncer de mama responde por cerca de 25% dos casos novos a cada ano. Especificamente no Brasil, esse percentual é um pouco mais elevado e chega a 28,1%. Sem considerar os tumores de pele não melanoma, esse tipo de câncer é o mais frequente nas mulheres das Regiões Sul, Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste.

O câncer de mama responde por cerca de 25% dos casos novos de câncer a cada ano.

Embora seja mais frequente em mulheres, o câncer de mama também pode afetar os homens, pois desenvolve-se em células que também estão presentes nos mamilos masculinos. Ele é mais comum em homens com idades entre os 50 e 65 anos, assim como em homens que tenham casos de câncer de mama na família.

Os sintomas e o tratamento são semelhantes ao câncer de mama nas mulheres e, por isso, há maiores chances de cura quando o câncer é descoberto precocemente.

Cerca de 1% dos casos de câncer de mama são diagnosticados em homens. Foto: Reprodução

Causas/Fatores de Risco

O câncer de mama não tem somente uma causa. A idade é um dos mais importantes fatores de risco para a doença (cerca de quatro em cada cinco casos ocorrem após os 50 anos). Outros fatores que aumentam o risco da doença são:

Fatores ambientais e comportamentais:

· Obesidade e sobrepeso após a menopausa;

· Sedentarismo (não fazer exercícios);

· Consumo de bebida alcoólica;

· Exposição frequente a radiações ionizantes (Raios-X).

Fatores da história reprodutiva e hormonal
· Primeira menstruação antes de 12 anos;· Não ter tido filhos;· Primeira gravidez após os 30 anos;·  Não ter amamentado;

· Parar de menstruar (menopausa) após os 55 anos;

·Uso de contraceptivos hormonais (estrogênio-progesterona);

· Ter feito reposição hormonal pós-menopausa, principalmente por mais de cinco anos.

Fatores genéticos e hereditários*

· História familiar de câncer de ovário;

· Casos de câncer de mama na família, principalmente antes dos 50 anos;

· História familiar de câncer de mama em homens;

· Alteração genética, especialmente nos genes BRCA1 e BRCA2.

*A mulher que possui um ou mais desses fatores genéticos/ hereditários é considerada com risco elevado para desenvolver câncer de mama.

Já o câncer de mama de caráter genético/hereditário corresponde a apenas 5% a 10% do total de casos da doença. Homens também podem ter câncer de mama, mas somente 1% do total de casos é diagnosticado em homens.

Atenção: a presença de um ou mais desses fatores de risco não significa que a mulher necessariamente terá a doença.

Sinais e Sintomas

É importante que as mulheres observem suas mamas sempre que se sentirem confortáveis para tal (seja no banho, no momento da troca de roupa ou em outra situação do cotidiano), sem técnica específica, valorizando a descoberta casual de pequenas alterações mamárias.
Os principais sinais e sintomas do câncer de mama são:

Sinais do Câncer de Mama

As mulheres devem procurar imediatamente um serviço para avaliação diagnóstica ao identificarem alterações persistentes nas mamas. No entanto, tais alterações podem não ser câncer de mama.

Prevenção

Autoexame

Lembre-se de que 80% dos nódulos mamários são benignos e apenas uma pequena porcentagem de secreções está relacionada ao câncer

Prevenção: Autoexame da mama
O que procurar?
• Caroços (nódulos);
• Abaulamentos ou retrações da pele e do complexo aréolo-mamilar (bico do seio);
• Secreções mamilares existentes;
Orientações
• O autoexame permite perceber alterações nas mamas. Frente a qualquer sinal de alarme, procure um mastologista (médico especialista em mamas);
• O autoexame deve ser realizado uma vez a cada mês, na semana seguinte ao término da menstruação. As mulheres que não menstruam devem determinar um dia específico para repetir o autoexame todo o mês;
• O autoexame não é um método diagnóstico e não substitui a visita ao mastologista. A mamografia é o único método de detecção precoce. Portanto peça sempre orientações a um médico especialista;
Importante
 O autoexame das mamas não substitui a consulta de rotina que deve ser feita ao mastologista.

Mamografia

A mamografia é um exame radiológico para avaliação das mamas, feita com um aparelho de raio-X chamado mamógrafo. Pode identificar lesões benignas e cânceres, que geralmente se apresentam como nódulos, ou calcificações. Este exame é usado para detecção precoce do câncer de mama antes mesmo de ser identificado clinicamente por meio da palpação.

A principal indicação da mamografia é para o rastreamento do câncer de mama. Nesse caso, a mamografia deve começar a ser feita a partir dos 40 anos, anualmente, para mulheres da população geral. Porém, para aquelas que possuem casos de câncer de mama na família, em parentes de primeiro grau (mãe, irmã e/ou filha), o risco de câncer de mama pode ser maior que o da população geral. Nestes casos, a mamografia pode começar a ser feita 10 anos antes do caso mais precoce entre as parentes que tiveram a doença. Por exemplo: se uma mulher descobriu um câncer de mama aos 40 anos, sua filha deve começar a fazer mamografias anualmente aos 30 anos.

Curiosidade

Outubro Rosa é uma campanha de conscientização que tem como objetivo principal alertar as mulheres e a sociedade sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama. Esta campanha acontece com mais intensidade no mês de outubro e tem como símbolo o laço cor de rosa.

O laço cor-de-rosa é o símbolo oficial contra o câncer de mama.

O movimento conhecido como outubro rosa que é comemorado em todo o mundo, nasceu no final do século 20 nos Estados Unidos quando a Fundação Susan G. Komen for the Cure (a maior entidade na luta contra o câncer de mama) realizou uma corrida de rua em Nova York com o objetivo de conscientizar a população sobre o câncer de mama.

Nesse evento foi lançado o laço cor-de-rosa e distribuído a todos os participantes da corrida, se tornando assim o símbolo oficial contra o câncer de mama. O nome outubro rosa se remete à cor do laço que simboliza, mundialmente, a luta contra o câncer de mama, principalmente entre as mulheres.

Com o movimento se tornando mais conhecido, ações como iluminação de monumentos, pontes, prédios públicos foram surgindo com a intenção de que o outubro rosa se expandisse cada vez mais e pudesse ser replicada em qualquer lugar do mundo, apenas adequando uma iluminação já existente.

A iluminação rosa é compreendida em qualquer lugar do mundo pois a popularidade do outubro rosa dominou o globo de forma bonita e nobre, motivando e unindo toda a população em prol de uma causa tão importante. A partir de uma corrida, o movimento se tornou universal, levando sua importância para os 4 cantos do mundo.