A corrupção no Brasil foi um assunto abordado durante todo o ano de 2017, e o tema persiste no inicio de 2018, uma reportagem desta quarta feira (21) feita pelo portal G1, mostra que o Brasil caiu 17 posições no ranking de países menos corruptos de 2017, ocupando agora o 96º lugar.

A pesquisa foi elaborada pela Transparência Internacional, que é um estudo mundial onde avaliam a percepção da corrupção no setor público de 180 países.

Quanto melhor a posição no ranking, menos o país é considerado corrupto. A 96ª colocação é o pior resultado do Brasil nos últimos cinco anos, segundo a Transparência Internacional. Em 2016, o Brasil ficou em 79º.

Mapa do G1 mostra ranking da corrupção no mundo 2017 (Foto: Karina Almeida/G1)

O Brasil ficou atrás de países como Arábia Saudita, Burkina Faso, Sri Lanka, Ruanda e Timor-Leste, e está empatado com Colômbia, Indonésia, Panamá, Peru, Tailândia e Zâmbia.

Os Lideres do ranking de 2017 como os países considerados menos corruptos Nova Zelândia, Dinamarca, Finlândia e Noruega.

Ja na outra ponta estão as nações mais corruptas do mundo, as piores colocações foram para o  Afeganistão, Síria, Sudão do Sul e Somália.

O Brasil vem caindo no Índice de Percepção da Corrupção (IPC) desde 2014. Nesse período, passou de 69º para 96º no ranking.

De acordo com a Analise elaborada pela Transparência Internacional, a piora do Brasil acende o alerta de que o combate à corrupção no país pode estar em risco, e que a percepção dos brasileiros de que os fatores estruturais da corrupção nacional seguem inabalados, “tendo em vista que o Brasil não foi capaz de fazer avançar medidas para atacar de maneira sistêmica este problema”.

 

Nota

O IPC pontua e classifica os países com base no quão corrupto o setor público é percebido por especialistas e executivos de empresas. Ele analisa aspectos como propina, desvio de recursos públicos, burocracia excessiva, nepotismo e habilidade dos governos em conter a corrupção.

 

Matria resumida de: https://g1.globo.com/mundo/noticia/brasil-fica-em-96-lugar-entre-180-paises-no-ranking-da-corrupcao-de-2017.ghtml